IESB LANÇA CURSOS HÍBRIDOS

A MODALIDADE UNE A FLEXIBILIZAÇÃO DO QUANDO E ONDE ESTUDAR COM A INTERAÇÃO ENTRE PROFESSORES E ALUNOS

Com o desemprego crescendo no Brasil, o mercado de trabalho está cada vez mais exigente quanto à qualificação para o preenchimento de uma vaga. Ter nível superior é uma vantagem na hora de disputar um cargo. Entretanto, boa parte da população não tem meios ou disponibilidade para frequentar uma faculdade cinco dias por semana. Apesar do Ensino a Distância (EAD) ser uma boa alternativa, algumas pessoas não têm a disciplina necessária para estudar sozinho ou não lidam bem com a baixa sociabilização.

Essas considerações levaram o Centro Universitário IESB a lançar uma novidade em Brasília: a graduação híbrida. Com essa nova modalidade de curso, o estudante assiste parte das aulas à distância e outra parte no modo presencial. Ou seja, pode estudar quando e onde quiser, com acesso a toda a plataforma de aprendizagem, aos materiais didáticos, fóruns, videoconferências, chat, wikis, blogs, ferramentas de avaliação on-line e, duas vezes por semana, comparece à instituição para assistir às aulas presenciais e desenvolver as atividades práticas com o professor da disciplina. “Com a modalidade híbrida o aluno tem a mesma qualidade dos cursos presenciais, a mesma grade curricular, porém tem a flexibilidade da modalidade a distância, de estudar quando e onde quiser, sem abrir mão do contato com os professores e colegas”, explica a professora Eda Coutinho, reitora do IESB.

O modelo de ensino é reconhecido pelo Ministério da Educação desde a publicação da portaria 4.059, em 13 de dezembro de 2004. Para ser caracterizado semipresencial, não mais que 20% das disciplinas ofertadas podem ser integrais ou parciais, as avaliações serão presenciais e as disciplinas devem incluir métodos e práticas de ensino-aprendizagem que incorporem o uso integrado de tecnologias de informação e comunicação para a realização dos objetivos pedagógicos, além de prever encontros presenciais e atividades de tutoria. “No IESB, o professor está sempre presente em sala de aula e não via satélite, ministrando aulas por teleconferência. Há uma interação entre professores e estudantes que possibilita um melhor aproveitamento do conteúdo”, destaca a reitora.

Para especialistas em Educação, esse é um caminho irreversível: no futuro próximo, os cursos deverão se tornar cada vez mais híbridos. Significa que a educação presencial deve ofertar mais atividades fora da sala de aula e, na modalidade a distância, os estudantes estarão ainda mais conectados presencialmente. Portanto, haverá cada vez mais integração entre o ambiente físico e o virtual. “Como instituição inovadora que somos, antecipamos uma tendência mundial, ampliando o acesso à educação, permitindo que mais pessoas possam ter acesso a um ensino de qualidade e sejam profissionais competentes”, conclui a professora Eda.


Por Assessoria de Imprensa 


Compartilhe: