MOSTRA IESB TERÁ 13 PRODUÇÕES EXIBIDAS NO 6º FESTIVAL CURTA BRASÍLIA

Já tradicional na cidade, o 6º Festival de Curta Brasília, que acontece entre os dias 14 a 17 de dezembro, no Cine Brasília, exibe curtas-metragens nacionais e internacionais. Desde 2016, o evento abriga a Mostra IESB - um espaço dedicado aos curtas-metragens e videoclipes produzidos pelos estudantes do curso de Cinema e Mídias Digitais do Centro Universitário IESB. “Esta é uma ótima oportunidade para que os alunos exibam sua produção na melhor tela de cinema da cidade e possam sentir de perto o impacto, a reação do público. É uma maneira deles entenderem como funcionam os festivais e colocarem no currículo que participaram de um evento internacional ”, afirma o professor Paulo Moraes, coordenador do curso.

Nesta edição, das51 produções inscritas, 13 foram selecionadas para serem apresentadas no sábado, 16/12, a partir das 10h. São elas: Última Moabe, um olhar sobre um processo demasiado depressivo, exagerado e fugaz do fim de um relacionamento; Oxy-Pride, que fala sobre uma garota que não conhece a própria identidade e está perdida tentando encontrar a chave para casa; Pátria Armada – Zamaster, contando como um morador de rua observa o caos em uma manifestação política na Esplanada dos Ministérios e seu encontro com a pessoa que o ajuda a melhorar sua situação; O Sol da Seca, que revela a vida de Caio, um jovem de 28 anos, que leva uma vida sem graça ao lado da namorada até se apaixonar pelo amigo gay; O Que Vão Dizer de Nós? abordando a ideia de desapego, onde a única regra no amor é não ter regras; Nas Asas do Traçado destaca o drama de uma roteirista que se depara com um bloqueio criativo às vésperas de entregar um trabalho e que busca inspiração em um passeio pelas quadras de Brasília; Desencontro Marcado narra a paixão de um nerd por uma colega de trabalho e o caminho nada usual para chegar ao local marcado para o encontro; Frio expõe todas as formas de amor possíveis; Dançarina de Brasília segue as dificuldades e anseios de uma dançarina buscando atenção e reconhecimento; Costal retrata um jogo intenso de caça, fuga e combate entre uma habilidosa detetive e um sanguinário assassino; Asé Omanõmo mostra o embate entre os espíritos da floresta e da cidade e a investida do homem sobre a floresta; Ao Entardecer refere-se à história de dois irmãos que cuidam um do outro com a ajuda de um amigo imaginário, um monstro grande e peludo que vai protegê-los e ensiná-los a superar as dificuldades com ternura e esperança; e Amizade de Ellen, uma pessoa tímida e solitária que tem na amiga – real ou imaginária - uma forma de exteriorizar seus sentimentos mais profundos e impulsivos.

Este ano, Cinema e Mídias Digitais do IESB comemora uma década de existência. Para celebrar a data, o roteirista Pablo Gonçalo e o cineasta Marcus Ligocki, ambos ex-coordenadores do curso, foram convidados para integrar o júri e ajudar a eleger os vitoriosos nas categorias Melhor Clipe e Melhor Curta. “Queríamos fazer essa homenagem para quem colaborou, desde o início, com essa trajetória de sucesso”, explicou Moraes. Haverá também premiação para o melhor filme por votação popular. Os vencedores serão revelados dia 17/12, domingo, às 19h.

No entanto, a experiência no 6º Festival Curta Brasília vai muito além das telas. Alguns alunos estão envolvidos diretamente no evento, trabalhando nos bastidores e conhecendo a realidade desse mundo. É o caso de Amanda Porto, 20 anos, estudante do 3º semestre, que atua como estagiária de assistente de produção. “Sou apaixonada por audiovisual e sempre sonhei em produzir filmes, mas agora estou tendo a chance de me comunicar com diversos produtores e diretores internacionais, criar um networking incrível, vivenciar outras possibilidades da minha profissão. É uma experiência maravilhosa”, concluiu Amanda.



Compartilhe: