IESB Ensino Médio de portas abertas para a educação

Reitoria do IESB, diretoria do colégio, professores, pais e alunos participaram de um café da manhã para conhecer as instalações e o projeto pedagógico da escola. Aulas começam dia 31 de janeiro.

A proposta do novo Ensino Médio do IESB integra inovação, qualidade e competência, bases que levaram o Centro Universitário IESB a alcançar a excelência, sendo considerada a melhor Instituição de Ensino Superior (IES) particular pelo Ministério da Educação (MEC). Nesta perspectiva, foi realizado café da manhã para pais e alunos, com o objetivo de apresentar a infraestrutura do IESB Ensino Médio, a direção da escola, a qualidade dos professores e o projeto pedagógico  que é a base para o planejamento da unidade escolar alinhado às novas demandas sociais ligadas à tecnologia. O encontro ocorreu no dia 13 de janeiro no Campus Oeste. 

A ocasião contou com a presença da diretora do IESB Ensino Médio, professora Dila Lira, e da reitora do IESB, professora Eda Coutinho, que, entre outras temáticas, falou sobre o surgimento do IESB Oeste, com o lançamento do Campus em Ceilândia, em meados dos anos 2008, destacou a importância do ensino centrado no aluno, com a valorização da teoria e da prática e o estímulo à inovação. De acordo com a professora Eda Coutinho, a engenharia é uma área que possibilita uma gama de opções profissionais. “Um engenheiro pode ter sucesso em qualquer área e, inclusive, atuar em cargos de gestão, pelo conhecimento técnico e domínio de resolução de problemas. E poderá ser diretor de escola ou reitor de universidade”, lembrou. 

“Não tenham medo de se arriscar e pensem que o fracasso serve para fortalecimento e aprendizagem”. Essa foi a reflexão deixada pela reitora Eda Coutinho, que ressaltou também o cuidado da Instituição com uma formação não apenas profissional, mas uma educação transformadora. Para ela, o educador possui a responsabilidade de ensinar aos jovens o sentido de justiça. “É preciso alertar os alunos que as leis podem estar erradas, e eles têm o poder de mudá-las. Assim, eles poderão ser independentes para fazer suas próprias escolhas. As universidades do futuro serão completamente ligadas ao desenvolvimento do país e farão de tudo para atender a esse propósito”, defendeu. 

Segundo a professora, é preciso desenvolver as potencialidades dos alunos para descobrirem a sua verdadeira vocação. “Se você for bom na sua área, você terá sucesso”, pontuou. Para isso, os alunos passarão por avaliação diagnóstica, feita pelos professores, para identificar talentos e oportunidades de desenvolvimento. “O apoio será essencial para detectar falhas e superá-las e fortalecer virtudes, como uma espécie de auto avaliação”, afirmou. 

Um dos princípios da Instituição é o respeito à autoridade na sala de aula, com foco em aulas práticas, na aprendizagem por recepção e, acima de tudo, na relevância de uma gestão escolar democrática. “A participação dos pais na educação dos filhos é fundamental para a superação de dificuldades de aprendizagem. É uma responsabilidade da família instruir o filho até os seis anos de idade, período crucial para o desenvolvimento da inteligência”, explicou a doutora em educação. 

No passado, um dos sonhos de Eda Coutinho era ter uma escola de ensino fundamental. No entanto, foram as experiências nos anos finais da educação básica que fizeram o sonho se tornar realidade, mas no ensino médio. Em 1996, mudou-se para Brasília, quando iniciou sua carreira no Centro Integrado de Ensino Médio (Ciem), mantido pela Universidade de Brasília (UnB). Antes, com apenas 17 anos, a educadora assumiu a direção de uma escola e, na mesma época, fez parte de projetos de educação à distância na zona rural no Brasil e no exterior. 

Com foco na internacionalização, o Centro Universitário IESB possui convênios de intercâmbio com universidades no exterior, como a Universidade da Pensilvânia (EUA), que possui mais de 100 mil estudantes. Ela é conselheira da universidade para a América Latina, Europa e Canadá. Além disso, o IESB possui parceria com o programa Santander Universidades, que oferece bolsas para os alunos estudarem na China, México e Espanha. 

Projeto pedagógico diferenciado 

O colégio possui proposta pedagógica diferenciada e adequada às necessidades dos estudantes de todo o DF, priorizando a autonomia no ensino, a aprendizagem significativa e oferecendo todo o suporte que o aluno necessitar com mentorias, para organização de estudos, monitorias para sanar dúvidas, por meio do projeto Ensina+, assessoramento para a escolha de profissões e diversos clubes para desenvolvimento das aptidões individuais. 

O uso da tecnologia será amplamente explorado. Por isso, os alunos contarão com uma plataforma digital completa, laptops individuais para serem usados durante as aulas, aulas invertidas, além de uma infraestrutura funcional e laboratórios modernos. Os estudos serão desenvolvidos por Trilhas do Conhecimento, com aulas focadas e direcionadas para os conteúdos e critérios de avaliação do ENEM e do PAS, e um preparatório no horário contrário para essas grandes avaliações. Os alunos também contarão com simulados e vestibular de treino para se preparem para as situações reais de avaliação. 

Os projetos “Cinema IESB”, “Leitura Livre” e o “Com os Grandes Mestres” terão o intuito de despertar o interesse pelos livros e pela escrita. Além disso, eventos diversos movimentarão o colégio, explorando a criatividade e o talento dos estudantes: Festa Junina, Feira Transdisciplinar, Feira de Nutrição, Arte e Cultura, Show de Talentos, Arena de jogos virtuais – IESB Game e Olimpíadas Esportivas. 

Os jovens ainda terão acesso a uma equipe multidisciplinar que dará suporte emocional, nutricional, vocacional e psicológico, a fim de garantir a aprendizagem e permitir aos alunos ampliarem suas habilidades. E no final do ano, o terceirão ganha a colação de grau para comemorar a vitória alcançada. Para a diretora do IESB Ensino Médio, professora Dila Lira, “é o melhor ensino superior de Brasília, oferecendo o melhor ensino médio. Com todos esses diferenciais, esse ensino médio já nasceu grande”.

 

Anny Cassimira  


Compartilhe: