Governo do Distrito Federal assina Termo de Cooperação Técnica com universidades

Garantir que episódios como o desabamento de parte da estrutura do Eixo Rodoviário Sul, em fevereiro de 2018, não aconteçam mais. Esta é a ideia do Governo do Distrito Federal ao assinar Termo de Cooperação Técnica com Instituições de Ensino Superior para vistoria nas pontes e viadutos do Distrito Federal. Os alunos, além de aprenderem com a prática, vão cuidar da preservação de pontes, ruas, edificações e monumentos do DF. Na última quarta-feira, reitores de diversas universidades, dentre eles, do Centro Universitário IESB, Edson Machado, assinaram a parceria com o Governo.

O secretário de Governo do Distrito Federal, José Humberto Pires, reforçou a importância da parceria entre universidades e governo para gerar benefício para a sociedade. “A cidade é cheia de obras de arte que precisam ser cuidadas”, ressaltou. O secretário de Obras do Distrito Federal, Izídio Santos Júnior, que também compareceu, lembrou o ganho para os estudantes. “Digo sempre aos alunos que eles têm uma oportunidade ímpar com esse projeto”, afirmou.

Com o projeto em andamento, a expectativa é que mais obras de manutenção sejam encaminhadas a partir do resultado das vistorias dos alunos. Ao todo, são oito universidades participantes. Cada uma das instituições terá sua área de atuação. Os alunos serão acompanhados pelos profissionais do GDF e também por professores, que supervisionarão o trabalho dos futuros engenheiros.

A coordenadora do curso de Engenharia Civil do IESB, professora Keyla Fabrícia Pereira Sahb, acredita que a parceria com o governo distrital reforça a ideia da instituição de sempre buscar o alinhamento entre a teoria e a prática. “A assinatura deste termo de compromisso com o Projeto de Vistoria de Obras de Arte Especiais reforça ainda mais os propósitos do IESB junto à sociedade e aos nossos estudantes. O curso de Engenharia Civil sempre esteve engajado e sensível às demandas das sociedade por entender que ações como esta são excelentes oportunidades para a formação técnica e cidadã dos nossos futuros profissionais”, argumentou.

A presidente do Crea-DF, Fátima Có, concorda com a professora. Para ela, o projeto tem potencial para gerar grandes profissionais na área de engenharia. “É uma oportunidade (para os alunos) de fazer o elo do exercício profissional com quem já está na prática”, disse. Além disso, ela lembrou o episódio da queda do Eixão Sul e também reforçou a necessidade de se “alimentar uma cultura de manutenção” nas obras da cidade.

Por Profissionais do Texto



Compartilhe: