TCC de Cinema produz série que explora folclore brasileiro

Recentemente, séries de fantasia como Game of Thrones (HBO) e The Witcher (Netflix) tornaram-se destaque de audiência no cenário audiovisual do mundo inteiro. Os enredos mesclando tramas políticas a figuras lendárias garantem a diversão da audiência, seja por streaming ou pela televisão. Inspirado nesse fenômeno, um grupo de estudantes de alunos do curso de Cinema e Mídias Digitais se desafiou a escrever uma história ambientada no Brasil, envolvendo elementos e personagens folclóricos e místicos da cultura nacional. Assim surgiu o projeto Obstinado Série, liderado pelo diretor e showrunner Eduardo Sergio, e produzido por Marcella Lasneaux, ambos do último semestre do curso.

"No Brasil, a criação de obras em diferentes gêneros, como o de fantasia, ainda é muito escasso e, consequentemente, a procura acaba indo para projetos criados internacionalmente. Com isso, me surgiu a ideia de criar uma série de fantasia brasileira, para algum serviço de streaming, visando essa parcela de público que é carente por obras de gênero dentro do nosso território, e que buscam boas obras para assistir", detalha o diretor e showrunner da série. A série propõe uma abordagem realista das criaturas folclóricas, enquanto respeita e investiga a fundo a mitologia por trás destas lendas.

Obstinados

Com o passar dos anos, já não existia mais o conceito de país, nem a eleição de presidentes. A realidade que antes se conhecia, agora, passa a ser estruturada em zonas, onde cada uma possui uma organização em tribos, com seus devidos costumes e leis, e regidas por "Obstinados", os maiores guerreiros e grandes chefes guardiões.

Além dos seres humanos, algumas criaturas folclóricas passaram a ter suas próprias vilas e tribos. Porém, algumas delas não vivem em sociedade, e só querem destruição. O território é habitado por Bradadores; Ahó Ahós; Lobisomens; e, principalmente, Curupiras Selvagens, criaturas altamente perigosas e espertas.

Nesse universo, as religiões já não existem mais. Os seres dessa nova realidade acreditam em uma lenda, de uma pessoa muito poderosa, que traria o equilíbrio para todos os seres.

Financiamento coletivo

Os produtores pretendem arrecadar até R$ 40 mil para a produção do episódio piloto. Para tanto, eles abriram um fundo de financiamento coletivo pela plataforma Benfeitoria. O valor pedido servirá para custear elenco, membros da produção, locações e direção de arte. Ajude: https://benfeitoria.com/obstinado?ref=benfeitoria-pesquisa-projetos.

Marcella Lasneaux, produtora da série, explica que o grupo está focado em trazer um episódio piloto de qualidade, mesmo com baixo orçamento. "Os estudantes universitários não têm muitas oportunidades de trazer um conteúdo de qualidade, que concorra com os grandes nomes da indústria. E é exatamente isso o que queremos fazer. Queremos rebuscar as nossas raízes, nosso folclore, sem resumi-los as histórias infantis. Queremos permitir que pessoas de todos os perfis sociais e econômicos tenham a oportunidade de se reconhecerem em personagens tão brasileiros", conta.

Burburinho no mundo geek

Recentemente, o projeto recebeu atenção especial dos criadores de conteúdo do canal Jovem Nerd que, durante uma live em seu canal do YouTube, falaram sobre a série. Para saber mais sobre o projeto e apoiar os estudantes, acesse a página do Benfeitoria. As doações começam com R$ 10 e todas trazem recompensas aos doadores.

Por Felipe Caian Dourado



Compartilhe: