Empreendedorismo no Brasil cresce em meio à pandemia

Publicado em 25 de maio de 2021

Saiba mais sobre o tema e descubra novas oportunidades com Felipe Rosa, criador da iniciativa @MaisUmAutonomo

Em 2020, em meio à crise econômica que se alastrou pelo Brasil e o mundo, algumas mudanças foram positivas. É o caso do empreendedorismo, que abriu novas oportunidades e perspectivas para uma grande parcela da população que tiveram suas vidas chacoalhadas pela pandemia da Covid-19 e buscaram no novo negócio uma alternativa como fonte de renda.

No Brasil, enquanto as médias e grandes empresas encerraram 2020 com resultado negativo de 193,6 mil empregos, as micro e pequenas empresas (MPE) foram, no mesmo período, as únicas a conseguirem reverter a perda de postos de trabalho provocada pela pandemia, com a geração de 293,2 mil novos empregos, segundo estudo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), feito a partir de dados consolidados pelo Ministério da Economia. No cálculo geral, as pequenas empresas foram as grandes responsáveis pelo saldo final de 142,7 mil empregos gerados no país durante o ano, evitando que o drama do desemprego atingisse um número ainda maior de trabalhadores brasileiros.

O número de Microempreendedores Individuais (MEI) também cresceu no país ao longo de 2020. Do total de 3.359.750 empresas abertas no período, 2.663.309 eram MEIs, representando um crescimento de 8,4% em relação ao ano de 2019. Os dados são do Mapa de Empresas, do Ministério da Economia. De acordo com os números, no fim do terceiro quadrimestre de 2020, existiam, no Brasil, 11.262.383 MEIs ativos. Em março de 2021 eles já respondiam por 56,7% do total de negócios em funcionamento no país.

O cenário positivo também ocorreu no Distrito Federal. O GDF, por meio da Junta Comercial, Industrial e Serviços (Jucis-DF), registrou um dado importante: ao longo de 2020, 62.064 novas empresas foram registradas na capital, enquanto apenas 20.063 oficializaram o encerramento das atividades. Ou seja, mesmo na crise, o número de empresas abertas foi mais de três vezes maior que o de estabelecimentos fechados. De acordo com a Agência Brasília, os setores que mais abriram foram o comércio varejista de vestuário e acessórios, a promoção de vendas e, principalmente, o fornecimento de alimentos para consumo em casa.

Antenado a essa perspectiva, o curso de Administração do Centro Universitário IESB prepara para o dia 1º de junho, uma super live com Felipe Rosa, mestre em Finanças Pessoais e Controladoria e criador da iniciativa @MaisUmAutonomo, que presta consultorias a profissionais autônomos e empreendedores em início de carreira. A palestra “Como empreender depois de formado(a)?” será transmitida ao vivo por meio do canal do IESB no YouTube, às 20h. Uma ótima oportunidade para alunos e interessados em tirar dúvidas sobre a nova empresa.

Para participar da live, basta acessar este link e ativar o lembrete, que uma notificação será enviada para o seu smartphone no horário da live.

Por Felipe Caian Dourado

Mais notícias

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo do seu interesse. Ao acessar nossas páginas, você concorda com tal monitoramento. Conheça nossa Política de Privacidade.